O percurso que levou Aboca a desenvolver MeliLax começou no estudo dos textos históricos guardados na Bibliotheca Antiqua do Aboca Museum, um “cofre” com cerca de 1000 volumes, publicados entre o século XVI e o início do século XX.

Graças à investigação histórica, Aboca conseguiu redescobrir as numerosas vantagens para a saúde do homem que podem derivar da utilização do mel: para as populações do Mediterrâneo antigo, o mel constituía a “substância medicamentosa fundamental”.

A sua preciosidade era susceptível de assumir contornos divinos: acreditava-se que o mel descendesse do céu e que as abelhas o recolhessem e o ofertassem como dádiva aos homens.

O uso por via retal data de 1500 a.C.: os egípcios utilizam supositórios de mel. Mil anos depois, Hipócrates descreve supositórios de anis, mirra, banha de cabra e mel. Historicamente, Hipócrates utilizava também clisteres à base de mel para fins laxativos e depurativos.

Reinterpretando os testemunhos históricos à luz das mais rigorosas descobertas  científicas recentes e utilizando técnicas analíticas avançadas, a Aboca conseguiu valorizar e verificar as propriedades do mel. Graças à utilização de tecnologias inovadoras, conseguiu desenvolver o potencial desta preciosa matéria-prima, realizando um inovador microclister.

Leia atentamente as advertências e as instruções de utilização.