Procurando simplificar a abordagem a um tema tão complexo, distinguimos dois tipos de problemáticas ligadas ao trânsito intestinal: a obstipação evacuativa, que se deve sobretudo a uma dificuldade de eliminação das fezes acumuladas no reto, e o trânsito lento, que se deve a uma reduzida motilidade intestinal.

A distinção entre os dois tipos de dificuldade é muito importante, porque os dois distúrbios afetam zonas e funções diferentes do intestino e, como tal, requerem soluções diferentes.

É necessário enquadrar corretamente a situação e intervir de forma específica, porque o equilíbrio do intestino é fundamental para a saúde de todo o organismo.

  • A obstipação evacuativa reconhece-se por distúrbios como a sensação de esvaziamento intestinal incompleto, a sensação de “bloqueio” anal, a necessidade de realizar várias tentativas de evacuação ao longo do dia ou de evacuar repetidamente poucas fezes. Neste caso, o objetivo é tentar facilitar a evacuação e o remédio pode ser a utilização de produtos com efeito estimulante-lubrificante a nível local
  • O trânsito lento reconhece-se quando: a frequência de evacuação é reduzida. Não se sente necessidade de defecar, as fezes são pequenas e duras. Nestes casos, é correto aconselhar, além do respeito pelas habituais normas baseadas num estilo de vida saudável e numa alimentação correta, um produto que tenha capacidades estimulantes da mobilidade intestinal.